5 técnicas de marketing mobile

Share:

Conheça as diversas técnicas de marketing mobile utilizadas desde 2008 até hoje…

Primeira técnica: Boca a boca (2008 – 2010)

Em meados de 2008 os aplicativos, de um modo geral, eram novidades. As pessoas impressionadas com os recursos e possibilidades, facilmente os apresentavam uns aos outros. Criando-se uma grande rede de divulgação boca a boca. Com baixo custo e extremamente eficiente.

Abordagem: Torne seu aplicativo interessante!
Nessa etapa a aparência não foi tão relevante. Aplicativos de aparência notavelmente bonitos ou feios podiam ter resultados semelhantes. Os destaques ficam para os aplicativos extremamente inovadores ou de humor.

Canais de marketing: Nenhum.
Algumas empresas desenvolvedores de jogos experimentaram o brand marketing porém não obtiveram grandes resultados.

Exemplos de destaque: Flight Control, Pocket God, Paper toss e iFart Mobile.

Segunda técnica: App Store Ranking (2010 – 2012)

Os aplicativos já não são uma novidade e com isso, o marketing boca-a-boca tem menos resultados. Com uma enxurrada de aplicativos disponíveis na App Store, os usuários possuem a necessidade de um filtro, para facilitar encontrar aplicativos mais relevantes e úteis.
Durante esse período foi implementado na AppS tore um sistema de Ranking, classificando os aplicativos mais relevantes pelo seguinte critério:

Se milhões de pessoas baixaram esse aplicativo, ele deve ser bom e deve ficar no topo da lista.

Abordagem: compra de aplicativos ainda não decolou, aplicativos pagos ainda são o grande objetivo. O preço inicial de U$ 0,99 é o ponto ideal na curva de elasticidade preço-demanda. Esse preço limita severamente o valor que as empresas de jogos podem investir para adquirir novos usuários (CAC), de modo que garantir a instalação gratuita da loja de aplicativos é crucial. As empresas criam um aplicativo de mercado de massa e fazem de tudo para impulsioná-lo na loja de aplicativos.

Canais de marketing: o principal canal de marketing utilizado até então é o “Aplicativo Gratuito por Dia”, onde a Apple “selecionava” qual aplicativo pago poderia ser baixado gratuitamente e realizava um grande marketing sobre o aplicativo. (até que a própria Apple matou essa função no final de 2012).
Investimentos pesados em display de publicidade eram realizados em época de lançamento de novos aplicativos.

Aproximação das empresas com a Apple para tentar obter destaque. Diversas funcionalidades, utilizando recursos propostos pela Apple, eram disponibilizadas para que o aplicativo obtivesse destaque na loja. Foi criado uma sessão “Escolha do Editor” para esse fim.

Mais recentemente, técnicas de “app store SEO” ou ASO (App Store Optimization) começaram a ser utilizadas. O objetivo é classificar o app nas primeiras posições para termos de pesquisa relevantes para seu aplicativo ou termos de pesquisa comuns e não relevantes.

Exemplos de destaque:Angry Birds, Plants vs. Zombies, Cut the Rope.

Terceira técnica: Social (2012 – 2013)

As empresas desenvolvedores de aplicativos têm procurado fazer um trabalho social na loja de aplicativos desde os primeiros dias, liderados pelos editores de jogos no Facebook (por exemplo, King, Wooga). Em 2012 eles começaram a abolir isso.

Na mesma época, os aplicativos sociais começaram a usar a lista telefônica para criar e enviar automaticamente um convite para a rede social.

Abordagem: Desafios competitivos (questionários cabeça-a-cabeça, tabelas de classificação, níveis). Seja um mercado de massa suficiente para que os amigos do “mundo real” estejam no aplicativo com eles, técnica conhecida como member-get-member, onde os próprios usuários atraem seus amigos para o aplicativo..

Canais de marketing: compartilhamento de Facebook e outras redes sociais, Catálogo de Contatos do celular e notificações push.
Exemplos de destaque: Snapchat, Instagram, WhatsApp, Candy Crush e Diamond Dash.

Quarta técnica: Entregar valor ao longo do uso (2013 – 2016)

Os desenvolvedores de aplicativos usam o modelo de compra gratuito no aplicativo. Uma pequena porcentagem de “usuários” vão jogar um jogo por anos, gastando centenas de dólares no processo. Por fim, os profissionais de marketing de aplicativos têm orçamentos significativos para usar e podem pagar por uma estratégia de aquisição de usuários.

Abordagem: Jogos que conectam os usuários, construindo algo (um império, uma fazenda, um carro) ao longo do tempo. Técnicas de gamification com obstáculos que criam apenas frustração suficiente para fazer com que os usuários paguem para passar. Idealmente, um elemento de player vs player competitivo para os usuários principais que os mantém jogando quando terminarem a versão offline.

Canais de marketing: publicidade móvel paga em espadas. Os canais mais eficientes são anúncios de instalação do Facebook e publicidade no jogo (particularmente intersticiais), mas também grandes gastos em redes de anúncios. A economia do LTV> CPI tem que funcionar. O top 25 na App Store ainda traz downloads gratuitos, mas só pode ser sustentado por grandes gastos com publicidade. Isso leva a um forte ciclo de reforço, em que alguns aplicativos dominam o top 10 por meses / anos.

Exemplos de destaque: Clash of Clans, Hay Day, Dating apps, Candy Crush (again), CSR Racing, Big Fish Casino.

Quinta técnica: impulsionamento pago na AppStore (2016 – atualmente)

Canais de marketing: No final de 2016 a Apple divulgou que as empresas desenvolvedoras de aplicativos poderiam impulsionar seus apps para aparecerem com destaca na loja. Essa funcionalidade foi muito bem recebida pelas empresas que possuem grandes recursos para investir em marketing.

Em compensação, as empresas com menor investimento em marketing buscaram formas alternativas de obterem destaque na loja. O ASO que surgiu em 2010-2012 tomou força e tem sido uma das principais técnicas de marketing. Surgiram diversas ferramentas para otimizar as publicações de aplicativos e escolhas de palavras chaves. Com isso, é possível que aplicativos com pouco investimento em campanhas pagas se destaquem mesmo assim.

Empecilho
Algumas técnicas “antigas” ainda podem funcionar se um aplicativo for suficientemente útil e distinto. Boca a boca, em particular, pode ser um ótimo canal de marketing, se você tiver um aplicativo que dê às pessoas uma razão para falar sobre ele. Exemplos deste ano incluem Flappy Birds, Vivino, Citymapper e os aplicativos de moda usados (Depop, Vinted etc.).

E você? Utiliza outra técnica?
Conta pra gente nos comentário!

Leia também

duas pessoas sentadas com computadores em sua frente planejando uma campanha de marketing
Como fazer o marketing do seu aplicativo [PARTE 1/3]: Pré-lançamento

Muitas empresas focam seus recursos e esforços no desenvolvimento de um aplicativo. O...

Como fazer o marketing do seu aplicativo [PARTE 3/3]: Pós-lançamento

Esta é a parte final da série “Como fazer o marketing do seu...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Add Comment *

Name *

Email *

Website *